amor... és tu - original text

Quando te vi, não soube de imediato que serias o tal. Não soube que o teu sorriso daria sentido aos meus dias e não soube que encontraria...

Quando te vi, não soube de imediato que serias o tal. Não soube que o teu sorriso daria sentido aos meus dias e não soube que encontraria conforto nos teus braços. Quando te vi, nem sequer sonhei que vivêssemos metade daquilo que já vivemos. Não adivinhei que farias o meu coração acelerar e não soube que me trarias tanta paz e tanta calma. Quando te vi, ainda não sabia o que era amor.

Não sabia o que era amor e não sabia que serias capaz de mo ensinar. 

Quando te conheci, era ainda a miúda de coração fechado, que não se entregava, não se arriscava. Era ainda a miúda que se mantinha longe de paixões e amores. Era ainda a miúda que se afastava de qualquer tipo de sentimento, porque também sabia que a felicidade não era eterna. Tu mudaste isso.

Quando arrisquei e me entreguei ao sentimento que começava a formar-se, não soube que seria assim tão feliz. Aliás, quando arrisquei tinha ainda na minha cabeça a ideia de que a felicidade não seria eterna e que, mais tarde ou mais cedo, as coisas correriam mal. Tal como disse, quando te conheci, era ainda a miúda de coração fechado e negativismo na mente. Mas havia algo em ti que me dava uma segurança inigualável, algo em ti que parecia murmurar "vai correr tudo bem".

A verdade é que me deixei entregar a essa sensação de segurança, a essa calma que emanavas e me atirei de olhos fechados, confiando cegamente no que sentia por ti e sabendo, instintivamente, que teria os teus braços para me segurar. Quando te conheci, não sabia que te tornarias o meu porto-seguro. Não sabia que significarias abrigo nas noites de tempestade. Não sabia que me protegerias nos teus braços. Mas arrisquei na mesma e se há coisa de que agora me orgulho, é de ter arriscado.

Quando te tornaste meu, tinha ainda o coração assolado de medos e inseguranças. Um a um, dissipaste-os a todos. Um passo de cada vez, mostraste-me que estarias do meu lado em qualquer ocasião, que lutarias comigo contra todos os meus medos e que chutarias para longe as minhas inseguranças. Quando te tornaste meu, todo o mundo pareceu mudar. E eu soube que estava a fazer a coisa certa.

Soube que estava a fazer a coisa certa porque me tornava mais feliz a cada dia que passava ao teu lado, porque cada vez me apaixonava mais. E cada vez mais eu tenho a certeza que naquele dia, naquela sexta-feira 13 que nenhum azar me trouxe, eu fiz a coisa certa. Fiz a coisa certa ao confiar em ti, ao atirar-me e entregar-me ao sentimento, ao deixar que me fizesses feliz.

O que aconteceu foi que, quando me entreguei, comecei a ver e a saber tudo aquilo que não vi e soube quando te conheci. Fiquei a ver mais do que o teu lado misterioso e distante e diante dos meus olhos surgiu um novo menino de sorriso brilhante e felicidade no olhar. Conforme o sentimento e a cumplicidade cresciam, fiquei a saber que és o tal, que és a pessoa que eu quero ao meu lado o resto da minha vida, custe isso o que custar. A cada dia que passava sentia-me mais segura nos teus braços, sentia-me mais feliz do teu lado e sentia que cada vez te amava mais.

A partir daquela sexta-feira, no dia 13 de fevereiro, comecei a compreender que qualquer ser humano é digno de amor e que, não importa o quão mau é o teu feitio, vai haver sempre alguém que vai conseguir lidar com isso. E compreendi porque tu mo mostraste. Nunca fui uma pessoa fácil. Desde pequena que me dizem "Não podes ser tão teimosa.", "Não se responde às pessoas." e conforme cresci, essa personalidade difícil apenas piorou. Tu mudaste isso. Não me tornaste menos teimosa ou menos respondona, mas conseguiste lidar comigo e com todos os meus defeitos. Além disso, conseguiste tornar-me uma pessoa melhor. Fizeste de mim uma pessoa mais calma e mais tolerante, mandaste embora as minhas inseguranças e, acima de tudo, mostraste-me que não havia razão para ter medo, pois tu estavas lá. Fizeste com que voltasse a confiar. E, acima de tudo, fizeste e fazes de mim a pessoa mais feliz do mundo.
A verdade é que palavra nenhuma seria capaz de descrever o que sinto por ti. Desde o dia daquele primeiro abraço que o que sinto por ti vem apenas a crescer, a tornar-se mais forte.

Há pessoas que entram nas nossas vidas, causam o caos e vão embora e há pessoas que não nos ensinam nada e, no fim, nos deixam também. E depois há pessoas como tu, que entram na nossa vida com um propósito, nos ensinam algo e ficam. Quando te conheci, não fazia a menor ideia do que fosse amor Agora, já sei.

Amor... És tu. 

You Might Also Like

0 comentários

O teu comentário é bastante importante para o crescimento do Bookaholic e para que eu saiba o que achas dos conteúdos e o que posso melhorar.

Por favor, deixa também o link do teu blogue quando fizeres um comentário, de maneira a que eu possa também visitá-lo. Não te esqueças também de preencher a opção 'Notificar-me', para que possas saber assim que eu responder.

Muito obrigada pela tua vista!