PIXELS | MOVIE REVIEW

O último fim-de-semana foi aquilo a que eu chamo um fim-de-semana preguiçoso: foi dia de ficar em casa e de alternar entre a cama e o sofá, ...

O último fim-de-semana foi aquilo a que eu chamo um fim-de-semana preguiçoso: foi dia de ficar em casa e de alternar entre a cama e o sofá, sempre com o computador no colo. Foram dois dias recheados de chuva e de vento, o que só aumentou a minha preguiça, e em que a escola me deu uma folga. Sem nada para fazer para segunda-feira e com algumas das coisas para a semana já adiantadas, só faltava uma coisa para o meu fim-de-semana preguiçoso estar completo: um filme.


O escolhido para aquele serão foi o Pixels. Dirigido por Chris Columbus e protagonizado por grandes nomes como Adam Sandler e Kevin James, este filme de ação traz-nos um significado diferente de vida extraterrestre. O filme começa em 1982, num campeonato mundial de jogos de vídeo. Entre os vários participantes estão Sam Brenner (Adam Sandler), Ludlow Lamonsoff (Josh Gad), também conhecido como "Rapaz-Prodígio", e Eddie Plant (Peter Dinklage), também conhecido como "Fire Blaster".  O que acontece é que esse campeonato, para além de criar uma rivalidade eterna entre Brenner e Eddie, é filmado e enviado para o espaço. O vídeo é recebido por seres intergalácticos que o interpretam como uma declaração de guerra.

Desse modo, esses seres extraterrestres criam modelos como os dos jogos clássicos de arcade e, desta vez, já no ano em que estamos, atacam a Terra, destruindo cidades. O presidente Will Cooper (Kevin James) pede ajuda ao velho amigo Sam Brenner, que identifica os ataques. Ainda que seja difícil convencer as forças militares e governamentais que se trata de um ataque vindo de outra galáxia e na forma de um vídeo-jogo clássico, tudo se torna mais claro para toda a gente quando é recebida uma mensagem dos atacantes onde os mesmo explicam o que está a acontecer: uma batalha intergaláctica, em que cada planeta tem três vidas e em que o vencedor leva tudo.

Como seria de esperar, por mais treino e armamento especial que tivessem, os militares não estavam preparados para aquele tipo de confronto e tão pouco sabiam como derrotar as personagens de arcade. Obviamente, os totós dos video-jogos são quem salva o dia e, mais exatamente, o planeta, tornando-se os heróis da história e da nação.

Em relação ao filme, não posso negar que se trata de uma história fantástica, muito bem imaginada e muito original. No entanto, também não posso negar de que esperava um pouco mais de comédia porque, das duas uma, ou o meu sentido de humor não estava apurado naquele dia ou, para um filme com o Adam Sandler e o Kevin James, é um filme muito pobrezinho em termos humorísticos. Também é verdade que o principal objetivo do filme não é ser uma comédia, mas... De qualquer maneira, como devem calcular, para quem gosta de jogos de arcade é um filme interessante para se ver. Além disso, há ainda o intergaláctico e alguns apontamentos de romance que lhe dão outro ar. Um filme bom o suficiente para uma tarde fria em que só nos apetece estar deitados no sofá...

You Might Also Like

0 comentários

O teu comentário é bastante importante para o crescimento do Bookaholic e para que eu saiba o que achas dos conteúdos e o que posso melhorar.

Por favor, deixa também o link do teu blogue quando fizeres um comentário, de maneira a que eu possa também visitá-lo. Não te esqueças também de preencher a opção 'Notificar-me', para que possas saber assim que eu responder.

Muito obrigada pela tua vista!