ACMA | COISAS IMPORTANTES DE QUE NINGUÉM GOSTA DE FALAR (PT. 2)

Tal como já vos tinha dito anteriormente, reuni cinco assuntos importantes sobre os quais as pessoas NÃO gostam de falar , de maneira a dis...

Tal como já vos tinha dito anteriormente, reuni cinco assuntos importantes sobre os quais as pessoas NÃO gostam de falar, de maneira a discuti-los convosco e a partilhar alguma da informação que encontro. E se neste post vos trouxe os dois primeiros temas, então hoje trago-vos os três restantes! Repito ainda que foi um artigo escrito em parceria com uma amiga minha, a Daniela, sendo esta a parte do post que tem mais o seu contributo, uma vez que dois destes três textos, os primeiros dois, foram inteiramente escritos por ela; desta forma, novamente, um shoutout  para a Daniela ahahah

Quero ainda relembrar que este post, bem como a primeira parte, foi feito no âmbito do projeto ACMA - um fantástico e novo projeto da blogosfera, sobre o qual vocês podem saber tudo no final deste post.


ACMA | COISAS IMPORTANTES DE QUE NINGUÉM GOSTA DE FALAR 



A CULTURA DA PEDOFILIA
A pedofilia sobressai como um assunto particularmente preocupante entre a problematização do tabu. Se a sociedade não parece recetiva em abordá-lo, as suas vítimas muito menos, uma vez que tentam primariamente sobreviver no silêncio. O único discurso que realça é o de alguns pedófilos como Todd Nickerson, que procuram sensibilizar audiências para o sofrimento que vem com esta perturbação mental e esta falha de discurso fala ridiculamente por si só. 

A verdade é que menos de 5% dos pedófilos são diagnosticados como sendo mentalmente perturbados ou psicóticos e que os principais criminosos são homens que abusam raparigas. O seu comportamento vem de algo mais enraizado e perturbador. Este pensamento é mais glorificado pela nossa cultura do que afirmaríamos e segue-nos inconscientemente sem dar indícios. 

É conhecimento geral que cada rapariga cresce com uma seta permanentemente apontada à imagem pela qual o seu corpo se deve reger. Qualquer forma que transcenda este contorno é vista como não atraente mas nunca parecemos reparar no que constitui este ideal. Um corpo sem um único pelo, magreza extrema carecendo de formas e fragilidade eminente - uma avaliação honesta observa que estas características são partilhadas por igual, tanto em mulheres idealmente belas como em crianças. 

Assim, os restantes 95% de pedófilos não necessitam de sofrer de distúrbios mentais porque estão apenas a seguir o que lhes foi ensinado ser sinónimo de atraente. Proponho que deixemos de visualizar um pedófilo como um homem perturbado e sinistro, e, ao invés, pensemos que mais de 60% destes crimes são praticados dentro de casa, por conhecidos da vítima. 





O PRIVILÉGIO BRANCO
pri·vi·lé·gi·o 
(latim privilegium, -ii, lei de exceção, favor)
substantivo masculino
            1. Direito ou vantagem concedido a alguém, com exclusão de outros. 


Todos nós nascemos numa maternidade. Vemos a luz da sala de partos como a nossa primeira precessão do mundo exterior e iniciamos o nosso percurso com o que pensamos serem as mesmas oportunidades que os milhares de bebés que nasceram naquele momento. É por isso que a nossa visão de igualdade sustém-se já, pateticamente, numa ilusão. Antes que consigamos aprender a respirar, o mundo toma a decisão imediata do que somos e o nosso sexo, condição social e raça já contam uma história que nunca concordámos em escrever. 

É sobre este último que incide um manto de indiferença que ainda falho em perceber - o privilégio branco. Durante muito tempo também vivi indiferente a esta realidade, na minha cabeça, a palavra "privilégio" estava destinada aos ricos e afortunados, não a uma pessoa de classe média como eu. Na escola ensinaram-me sobre tolerância e consciência mas, por algum motivo, este assunto escapou da boca de quem eu pensava deter a verdade absoluta. A verdade é que se a pobreza, a miséria e a doença atingem as pessoas brancas de igual modo, então de onde vem este privilégio?

Ele acompanha cada pessoa branca cujo sangue não congela ao soar de uma sirene, uma vez que a polícia surge como um sinónimo de segurança e não de séculos de ódio acumulados, prontos a serem libertos com a pressão de um gatilho. Ele impede-me de ver notícias e pensar se serei a próxima. Acarinha-me a face quando a minha eloquência não é "surpreendente" ou quando não tenho de me preocupar se a minha raça, cabelo ou acessórios culturais foram a razão para não ter conseguido aquele emprego. Privilégio branco é olhar para cima e não ver uma estatística a pairar, como os jovens pretos serem 21 vezes mais prováveis de serem atingidos pela polícia, ou, apesar de serem apenas 14% dos consumidores de droga, serem 57% dos presos por crimes associados a ela. E mesmo assim, estes dados continuam a favor da supremacia branca porque silenciamos cada voz que não a perpetue. 

É tempo de olharmos através desta bolha quebrada e ganharmos a consciência que tanto falta. Como disse, este conhecimento não me foi ensinado pela minha comunidade, mas por vozes como a de Kat Blaque, Javon Johnson e Nathan Zed, cuja coragem fala mais alto do que o medo. 



Os nomes acima mencionados estão hiperligados ao canal correspondente, para que também vocês possam saber mais sobre o assunto e sobre estas pessoas.



A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA 
E se no último post vos falei da cura para o cancro e do mercado das drogas, hoje venho falar da instituição que mais beneficia com tudo isto: a indústria farmacêutica. A verdade é que, com apenas um pouco de pesquisa, não é difícil descobrir algumas das coisas que caracterizam esta indústria; contudo, este tipo de artigos continuam a ser definidos como "teorias conspiratórias", numa tentativa, na maior parte das vezes bem sucedida, de nos atirar ainda mais areia para os olhos.

Tal como vocês sabem, diferentes medicamentos têm diferentes efeitos secundários; contudo, muitas das vezes, não temos noção dos efeitos colaterais do que nos foi prescrito, uma vez que, segundo a FDA (Food and Drug Administration) e a indústria farmacêutica, os efeitos colaterais perigosos num medicamento só aparecem quando este é usado por milhões de pessoas e não no pequeno grupo onde são realizados os testes clínicos. Além disso, muitas das vezes os medicamentos são enviados para o mercado depois de apenas seis meses de revisão para que a indústria possa começar a lucrar enquanto a segurança ainda está a ser determinada. A juntar a estes, existem ainda produtos bem conhecidos cujos riscos foram ignorados e que foram vendidos à mesma. São exemplos disto Singulair, um medicamento contra a asma e alergias que levou mais de 200 pais a relatar que os seus filhos tinham exibido alterações de humor, défice de atenção e até mesmo depressão e pensamentos suicidas, e Zyprexa, um antipsicótico que fez com que 30% dos seus consumidores ganhasse 10 kg e colocando-os em risco de desenvolver diabetes. 

A verdade é que a indústria farmacêutica é uma das mais lucrativas do mundo, sendo, inclusive, considerada "um negócio de milhões". Numa entrevista ao Super Interessante, o representante de uma indústria farmacêutica, assumindo uma falsa identidade, claro está, confessou existem sim farmacêuticas a pagar aos médicos para prescreverem o seu medicamento e que "se o médico ganha um cheque, ele compromete-se a prescrever 3 vezes o valor em receitas de um medicamento". 

Atualmente, já são vários os livros e os artigos escritos sobre esta temática, todos eles tentando expor que a indústria farmacêutica tem apenas um objetivo: o dinheiro e não a vida. 



Sobre o projeto A Cultura Mora Aqui

Criado pela Ju, do blog Cor Sem Fim, o projeto A Cultura Mora Aqui - ou ACMA, para abreviar - tenciona, tal como tenho vindo a referir nos posts anteriores, trazer a cultura de volta à internet com temas mensais. Para participarem, só têm de enviar um e-mail para corsemfim@gmail.com - aproveito para repetir que não vamos falar sobre outfits, maquilhagem, moda, etc, e que qualquer um de vocês pode participar, não sendo obrigatório fazê-lo todos os meses. Para não perderem nenhum post, já podem seguir a página do ACMA no facebook.


- FUNDADORES DO PROJETO - 


- ALGUNS DOS PARTICIPANTES DESTE MÊS - 

Chique e Geek - Carolina Freitas

Uma vez que este mês temos bastantes participantes, cada blog vai apresentar apenas uma lista de alguns dos participantes deste mês. Podem, contudo, acompanhar todos os posts na página de facebook do ACMA (link acima). 

- NOS MESES ANTERIORES - 

Outubro - Novembro - Dezembro - Janeiro - Fevereiro (pt. 1)

You Might Also Like

12 comentários

  1. Respostas
    1. Fico contente por teres gostado! Muito obrigada e obrigada também pela tua visita e pelo teu comentário!

      Um beijinho,
      Bia do Bookaholic.

      Eliminar
  2. Muito sérios esse temas. Cada um deles dava pano para mangas... Foi uma boa reflexão para começar. bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade... Temas muito, muito importantes. Obrigada pelo teu comentário e pela tua visita!

      Um beijinho!

      Eliminar
  3. Você sempre traz ótimas reflexões sobre assuntos por demais importantes para a sociedade!
    Embora os parágrafos sejam curtos, o conteúdo é muito bom!

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito contente por achares isso, mesmo! Tento que os parágrafos não sejam demasiado extensos porque estou a mencionar mais do que um tema e tenho algum receio que o post depois se torne maçador, mas fico muito feliz por trazer bom conteúdo! Obrigada pela visita e pelo comentário!

      Um beijinho!

      Eliminar
  4. Muito importante essa sua reflexão, adoro a maneira como você escreve. E fico feliz que eu não seja a unica que problematiza com a cultura do estupro e que enxerga a máfia farmacéutica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito feliz! Não és, de todo, a única e o importante é mesmo que mais e mais gente comece a ver o mesmo! Muito obrigada pela tua visita e pelo teu comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar
  5. Optimo post.
    Dá para reflectir em muitos sentidos.

    Beijinhos,
    http://www.pirilamposemarte.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente! Era esse mesmo o meu objetivo! Muito obrigada pela tua visita e pelo teu comentário!

      Um beijinho!

      Eliminar
  6. Neste tipo de temas já não me sinto tão à vontade para divagar como os outros do post anterior. Mas acho que isto só demonstra mais o quão corrupta a nossa sociedade está! O privilégio branco existe! Existe sempre que tu entras num transporte, és branco e ninguém te olha de lado! És preto e agarram logo as malas. (excepto eu, que olho de lado para toda a gente porque nem na sombra confio xD)
    E acho que li esse artigo da super interessante. Pelo menos a temática não me é estranha! Sabes, onde costuma haver muito conteúdo deste é no Vice :o
    Gostei muito do post!

    Beijinhos,
    Mii
    Comic Life Blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São, realmente, temas um pouco mais complexos e mais difíceis de discutir, principalmente porque não são tão discutidos quanto deviam. Mas tens toda a razão, o privilégio branco existe e a situação que dás é apenas uma das muitas!

      Era um artigo muito interessante e que nos mostrava uma outra faceta da indústria farmacêutica e até da ética e moral dos médicos. O nome não me é estranho, mas não me lembro de ler muitos artigos no Vice, tenho que ir pesquisar!

      Fico muito contente por teres gostado Mii! Muito obrigada pela tua visita e pelo teu comentário.

      Um beijinho!

      Eliminar

O teu comentário é bastante importante para o crescimento do Bookaholic e para que eu saiba o que achas dos conteúdos e o que posso melhorar.

Por favor, deixa também o link do teu blogue quando fizeres um comentário, de maneira a que eu possa também visitá-lo. Não te esqueças também de preencher a opção 'Notificar-me', para que possas saber assim que eu responder.

Muito obrigada pela tua vista!